Sobre trilinguismo e o meu sotaque.

02:12:00

Olá. Eu sou a Laise, brasileira, baiana e nordestina expatriada há 13 anos. Já morei em Portugal, na Espanha e hoje vivo na Austrália. Ok, provavelmente você já deve ter lido o meu perfil aí do lado quando entrou no blog, mas se você me encontrar na rua e me ver falando outro idioma provavelmente não vai se dar conta disso. E isso não me deixa nada feliz.



Ao contrário de muita gente que aprende outro idioma, eu nunca quis perder meu sotaque, porque eu acho que no fim é o que mais te identifica quando você vai morar fora. Mas depois de tantos anos vivendo em países diferentes parece que o que eu temia, aconteceu.
Não é de hoje que eu escuto as pessoas me perguntarem "mas aí, de onde você é?" e eu fico pensando "Ué, não está na minha cara que eu sou brasileira?".




Desde que vim morar na Austrália parece que perguntas assim ficaram mais frequentes. Um dos "esportes" preferidos dos clientes que visitam a vinícola onde eu trabalho é descobrir de qual país eu vim. Já vou trabalhar sabendo que pelo menos uma vez ao dia alguém vai tentar adivinhar minha nacionalidade. Ainda que talvez isso tenha começado a me incomodar a pouco tempo atrás, percebi que isso já aconteceu quando fui morar na Espanha. 
Quando cheguei em Barcelona com o meu espanhol capenga, via como alguns clientes do restaurante olhavam pra mim tentando imaginar de que continente eu tinha vindo como se eu fosse um extraterrestre. Era tudo quanto era palpite, saía Cuba, Colômbia, Costa Rica e até Etiópia. Certa vez meu chefe me contou que uma mesa fez uma aposta e quem acertasse minha nacionalidade não pagava a conta. Não preciso nem dizer que eu ri pra não chorar. 


Cheguei a fazer uma tatuagem igual a essa para reafirmar minha nacionalidade

Em outro trabalho que eu tive, em uma padaria latina em Sydney, alguns clientes se referiam a mim como "la chica colombiana" ou "la muchacha de Venezuela" porque sequer imaginavam meu idioma materno era o português.

Aqui na Austrália a coisa é tão grave que alguns brasileiros da escola de inglês que eu estudava chegaram a duvidar que eu era brasileira. Não que meu inglês seja grande coisa ou meu espanhol seja perfeito, eles realmente não me indentificavam como compatriota até eu soltar algumas palavras em português.


Cheguei a questionar pra muita gente que me pergunvam o que fazia eles duvidarem na minha nacionalidade. Muitos me dizem que fisicamente até pareço brasileira, caribenha ou de algum país asiático, mas que o meu sotaque é indecifrável. 
Uma pessoa semana passada começou a falar comigo em francês pensando que eu era francesa. Logo eu,  que sou apaixonada pelo sotaque nordestino e que quase choro de emoção quando escuto um "oxente".  
Ultimamente tenho tentando seguir o conselho das minhas companheiras de trabalho e tentar levar tudo na brincadeira, afinal, segundo elas não é fácil aprender um idioma novo e depois tentar traduzir-lo em dois mais. 
Enquanto isso vou tentando driblar as minha perda de sotaque e tentando "abrasileirar" o máximo minhas conversas.





You Might Also Like

2 comentários

  1. Acontece o mesmo comigo. Ainda mais que meu sotaque agora e mais argentino que qualquer outra coisa hahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha engraçado como nosso sotaque vai mudando né ? Beijo querida

      Excluir

Fazemos parte