Como eu consigo viajar tanto trabalhando de garçonete

05:34:00

Volta e meia surge aquela típica pergunta de quem pensa que pra viajar você precisa ser rico: "Como você faz pra viajar tanto?"
Eu não sou empresária, nem me dedico a nenhuma atividade ilegal, nem vendo meu corpo e tampouco tenho pais ricos.
É bem simples, eu trabalho como você ,tenho prioridades e sou garçonete.
Exatamente. Eu trabalho quando você tem folga e enquanto você se diverte eu tento equilibrar 5 pratos (ou mais) nas duas mãos que Deus me deu. Trabalho nos fins de semana. Tenho folga na segunda. E meu guarda-roupa é formado basicamente por calças e camisetas negras.

E ainda com um sorrisso no rosto



E não reclamo, longe de mim. Como disse nesse post aqui, não tenho vergonha do que faço. Aliás, trabalhar de garçonete pagou a maioria das minhas viagens e me deu oportunidade de conhecer muita gente bacana. Gente que hoje faz parte de um grupo incrível de amigos.

Meu primeiro trabalho de garçonete foi em Barcelona, num dos melhores restaurantes de Sitges, que coincidiu com o começo do meu vício de viajar.
Eu trabalhava muito no verão, mas no inverno tinha 50 dias de férias. Remuneradas. 
Juntar dinheiro também era fácil. Além de ganhar razoalvelmente bem, eu almoçava e jantava no restaurante (o que é uma economia enorme) e em época de vacas gordas eu chegava a pagar meu aluguel com as gorgetas que ganhava por semana.


Meu primeiro trabalho

Larguei esse trabalho porque comecei a estudar Relações Públicas e trabalhar na área de Protocolo do Aeroporto de Barcelona. Mas no ano seguinte lá estava eu, trabalhando no verão como garçonete outra vez. Aproveitava as férias da faculdade e os 5 dias de folga do Aeroporto para vender caipirinhas e mojitos num bar á beira da praia. Isso mesmo. Trabalhava como hostess no Terminal de Vôos Vips no Aeroporto de dia e vendia cocktéis de noite. Com um único objetivo: Viajar!!!


Essa era a vista que eu tinha enquanto preparva os cocktéis

Eu trabalhei nesse bar 5 verões. No primeiro fui pra Ibiza, Paris, Londres e Andorra. No segundo, além de ir pro Brasil visitar a minha família, ainda dei uma escapada e fui pra Tunísia e pra Tailândia. 


A rainha dos cocktéis

No terceiro ano voltei a Paris, fui a Bruxelas, pra Jordânia e voltei a Formentera. No quarto ano voltei a ir pra Tailândia e passei uns dias na Indonésia, além de visitar Turquia. No quinto ano, mesmo tendo que juntar grana pra vir pra Austrália, ainda consegui voltar á Ibiza e finalmente visitar Amsterdam. Tudo isso graças ao meu trabalho de garçonete.


Meus primeiros anos como garçonete no bar

Estou contando tudo isso, não porque eu deva satisfação a ninguém. Mas pra dizer pra você que está lendo, que juntar dinheiro pra viajar é como juntar dinheiro pra qualquer outra coisa na vida: Planejamento, sacrifício e prioridades.
Sabe aquela roupa cara e a bolsa do momento? Eu não gasto meu rico dinheirinho com isso. Minhas roupas são baratas e minha bolsa preferida foi feita á mão pela minha sogra. Nunca tive carro. As únicas coisas que tenho de valor são minha máquina fotográfica, meu computador e minha mochila. Tudo que eu quero comprar converto em passagens áereas primeiro. No meu último mochilão pelo Sudeste Asiático, eu enfrentei mais 27 horas em ônibus, dormia em hostels, andava a pé. Tudo pra economizar e viajar mais.
Economizar o dinheiro que eu consegui trabalhando de garçonete aqui na Austrália. Sim, porque continuo servindo cafés e comidas aqui em Sydney. 
Porque entre minhas prioridades, viajar está em 1º lugar. E enquanto eu tiver um trabalho que me permita fazer o que eu venho fazendo todos esses anos já é motivo suficiente pra eu gostar dele e me sentir realizada.











You Might Also Like

4 comentários

  1. Respostas
    1. Dayyyy Bom ver você por aqui!!! Obrigadissima!!

      Excluir
  2. É verdade...
    Muito legal esse post ��

    Diana Lordêlo.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada Di!!! Nós e nossas prioridades né não?? Rsrsrs.. Beijos

    ResponderExcluir

Fazemos parte