A experiência de estar hospedado no Marina Bay Sands em Singapura

02:47:00

Antes de começar a falar um pouco da nossa viagem a Singapura, quero responder a pergunta que eu mais escutei quando voltei de viagem: "E aí, como foi estar hospedada no Marina Bay Sands??". Se tivesse que resumir em uma palavra seria: INCRÍVEL, mas como posso escrever em algumas linhas minha experiência, aí vai...


A famosa piscina infinita


Bom, vou começar falando que nossa decisão de ir a Singapura veio depois que uma das melhores amigas que eu fiz aqui na Austrália me disse que seu marido tinha sido transferido pra lá. Com o convite pra ficar na casa dela, não precisaríamos ficar em hotel (Gracias Paco y Luisa). Ainda assim, estive fuçando pra saber o preço de uma noite no hotel mais cobiçado do páis: 550 doláres australianos a noite, o quarto mais barato. Ok, era alta temporada, mas não queríamos gastar tanto e acabei tirando a idéia da cabeça.
No segundo dia na cidade, subimos ao Sky Tower (parte do hotel acessível ao público) e me apaixonei pela vista lá de cima. 


A vista desde o Sky Tower


Minha amiga que fez aniversário alguns dias antes, me contou que seu marido lhe presenteou com uma noite lá, que ela tinha adorado e que se fosse eu, iria sem pensar duas vezes.

Foi aí que eu e o Gerard num surto de querer ficar lá uma noite, nos auto presenteamos e a não nos arrempendemos.

Felizes com nosso auto-presente

Nós ficamos hospedados no 15º andar e apesar da maior parte das pessoas preferirem vistas para a Marina Bay, eu tava rezando pra que o nosso quarto ficasse do lado contrário diante do Gardens By the Bay e assim foi.


Gardens By the Bay pela janela do meu quarto

Logicamente você pode escolher pagando alguns doláres a mais, mas como reservamos no dia anterior, não fizemos nenhum pedido especial. Outros pedido podem ser feitos, como quarto para fumantes, pedidos especiais para lua-de-mel e aniversário. Minha amiga por exemplo, pediu pra fazer o check-out mais tarde porque era aniversário dela e eles aceitaram.


Quartos:

Os quartos eram espaçosos e bem iluminados como era de se esperar. Mas sinceramente, foi a única coisa que não me surpeendeu tanto. O hotel que eu passei meu aniversário em Fiji por exemplo, era do mesmo tamanho. 





Ainda assim o quarto tinha disponível tudo aquilo que um hóspede precisa. Pra passar uma noite você só necessita de duas mudas de roupa e um biquini. Tudo que você não tiver, eles te facilitam.
Mas só uma dica, muito cuidado com o mini-bar. Ele tem um sensor que se você mexer em algo, nem que seja pra olhar ou trocar de lugar,  é automaticamente cobrado na sua conta.

Serviços:

No preço de uma noite só está incluído o quarto e o acesso á piscina. Se você quiser tomar o café-da-manhã por exemplo, terá que desembolsar 47 doláres mais. Além disso, o Spa também é pago, ainda que ao lado da piscina tenha mais de uma Jacuzzi.

A atenção dos funcionários é excepcional e o check-in é bem rápido apesar da quantidade de gente. A hora de entrada é ás 14hs e a hora de sáida ás 11hs. 

Piscina:

A piscina mais desejada de Singapura é aquilo mesmo que a gente imagina e muito mais.
A vista lá de cima é fascinante qualquer hora do dia.



No entardecer...

A noite...

De dia...

A maioria dos hospédes ficam praticamente todo o dia lá e por isso está sempre lotada. Mas olha, espaço não falta. Eu mesmo não imaginava que ela era tão grande.
Está separada em três partes e o melhor de tudo é que as crianças só podem estar em uma parte da piscina, pra felicidade de muitos, já que a maioria são casais sem filhos em busca de mais tranquilidade.




Para ter acesso á piscina você tem que estar hospedado no hotel. No andar 57 onde está localizada, há um controle em que cada hóspede tem que apresentar a chave. Ou seja, não adianta se infiltrar que não rola.

Há um bar e um restaurante no andar na piscina, além do Ku-De-Ta: outro restaurante mais fino, aberto ao público mas com entrada restrita a piscina. O restaurante é dress-code depois das 6 da tarde e se você não for bem vestido, a chance de entrar é nula.

Instalações

A maioria das lojas são abertas ao público. No andar de baixo do hotel existe um shopping imenso com as lojas mais caras do mundo. Aos amantes das compras é um verdadeiro parque de diversões. 



Além do shopping, o complexo também tem um Cassino, que está sempre cheio. Eles são bem chatos com  a "vestimenta" e fazem vista gorda com a idade dos jogadores. Se você tiver menos de 18 anos e tentar entrar a multa é de mais de 1000 doláres.

Na parte da recepção do hotel existem mais 3 ou 4 restaurantes abertos ao público e você pode chegar no complexo diretamente através do metrô na estação de Bayfront.

Minha experiência no Marina Bay Sands foi genial e ainda que algumas pessoas achem caro, na minha opinião valeu muito a pena.

Aquela vista lá de cima me deixou apaixonada.



You Might Also Like

1 comentários

Fazemos parte