Guia de hostais BBB pelo Sudeste Asiatico

04:22:00

Como todo mundo sabe eu adoro viajar e pra mim não existe diversão maior que comprar passagens áereas. Mas vou contar um segredo a vocês: a tarefa mais chata pra mim é procurar um hotel. Talvez pelas várias decepções que eu já tive (olhem os posts sobre a Jordânia para entender o que eu tô falando) e de me sentir uma boba quando chegava nos lugares e encontrava hotéis bem mais baratos que o que eu tinha reservado (quem nunca?).

Pensando nisso, o que eu fiz nessa viagem pelo Sudeste Asiático foi não reservar quase nenhum hotel e procurar quando chegava nos lugares. Além de economizar, encontrei guest houses que sequer tinham página web para fazer reserva antecipada
Não posso negar que algumas vezes a procura foi demorada e chata. Mas na maior parte da viagem eu encontrei o que eu queria pelo preço que queria pagar.
Em outras ocasiões acabei sendo obrigada a ficar em lugares que eu não gostava muito só pelo fato de nao ter encontrado nada melhor.
A Lonely Planet me salvou a vida muitas vezes e em outras ocasiões foi com a ajuda de outros viajantes. 
Então, eu resolvi fazer esse post pra você que pretende viajar pelo Sudeste Asiático e encontrar acomodação boa, bonita e barata.



*Me perdoem a falta de fotos das guests houses, mas eu não tinha pensado em fazer este post enquanto viajava.

Filipinas

Manilla:

Manila foi um dos poucos lugares lugar que eu reservei com antecipação. Fiquei no MNL Hostel paguei 30 doláres a noite em um quarto privado e banheiro compartilhado. O hostel está bem no centro financeiro de Manila. A recepção é ótima e inclui café-da-manhã.


Puerto Princesa: 

Em Puerto Princesa ficamos no Orange MangroveApesar da Internet não funcionar nos dias que eu passamos por lá, adoramos a Guest house. A dona é super simpática e o café da manhã é todo fresquinho com coisinhas caseiras preparadas por ela. A noite para duas pessoas custa 34 dólares com café-da-manhã incluído.



Port Barton: 

Esse lugar super queridinho não tem muitas opções de hospedagem, mas é fácil encontrar se você não tem reserva. Eu fiquei na Summer Homes, uma simpática pousada bem de frente para a praia. Paguei 35 dólares por um bungalow que deu peninha de deixar-lo. Os funcionários são uma simpatia e a comida era ótima.


Vista do nosso bungalow


Corón:

Em Corón ficamos no Luis Bay Guest House, está bem perto do pier. Por 24 doláres a noite ficamos num quarto com ar condicionado e sem café-da-manhã. Eu acabei escolhendo esse hotel por que era o único que aceitava cartão de crédito, coisa bem díficil de achar em alguns lugares das Filipinas. Eles também reservam tours pela ilha de Corón e estão sempre dispostos a te ajudar.
A dona da guest house foi quem nos recomendou este tour por Corón


Malásia

Kuala Lumpur

A capital da Malásia foi outra que eu tive que fazer uma reserva antes por causa do horário do meu vôo. Fiquei no Orange Pekoe Guesthouse e acertei em cheio. O bairro é  super cêntrico e a dona nos ajudou muito com um roteiro pela cidade. Paguei 37 dólares por uma quarto duplo com banheiro e café da-manhã incluído.


Tailândia:

Bangkok:

Khao San Road é  a meca dos mochileiros, mas encontrar acomodação barata tá cada vez mais difícil. Por sorte a Green House continua com preços ótimos . Das 3 vezes que tive que ficar por lá paguei entre 10 e 15 dólares em quartos para 2 pessoas sem café-da-manhã. O Hostel é  super limpinho e está na rua paralela a Khao San.


Khao San Road


Chiang Mai

Sofremos para conseguir uma lugar BBB em Chiang Mai. Mas por sorte uma inglesa que vinha no mesmo ônibus que a gente acabou recomendando o Green Tulipe. Os quartos são hiper super limpos e custa só 15 dólares a noite. Eles têm inúmeros prêmios do TripAdvisor e do HostelBookers.

Cambodia:


Siem Reap

Chegamos em Siem Reap tarde e super perdidos, mas por sorte conhecemos duas espanholas que tinham um nome de uma pousada que uma amiga delas tinha recomendado. A Yellow Guest house foi uma das melhores que ficamos em todo Sudeste Asiático. Nos hospedamos duas vezes por lá e só pagamos 12 dólares por um quarto duplo com banheiro e ar-condicionado. Da segunda vez, somente 6 dólares a noite em um quarto com ventilador. A Guest House pertence a uma família cambojana de uma amabilidade infinita que fez a gente se sentir em casa.


Mesmo sem ser uma prioridade, a piscina do Yellow salvou a gente nas horas de calor em Siem Reap

Sihanoukille

Chegamos em Sihanoukville a noite e fomos direto pra famosa praia de Serendepity. De cara encontramos a Apple Guest House. A entrada é um supermecado, mas os quartos são super limpos. Ficamos em um com ar-condicionado e banheiro próprio por apenas 10 doláres a noite.


A famosa praia de Serendepity 


Laos:

4000 Island
Don Det é o ponto de hospedagem para visitar 4000 Island e é bem pequeninho. Você chega de canoa e tem uma ruazinha pra procurar lugar pra ficar. Nós ficamos em uma Guest House super simpatica por 10 doláres a noite. A Konesavath Guesthouse está justo em frente ao Adams Restaurant. Só recomendo pegar um quarto com ar condicionado por que lá faz muito calor.


Don Det, ponto de hospedagem para visitar 4000 Island no Laos

Vang Vieng:

Chegamos em Vang Vieng pensando que as coisas por lá andavam caras pelo número de turistas que visitam a cidade por causa do famoso tubbing e nos supreendemos com a quatidade de pousadas baratas. Nó ficamos no SisanVang Guest House ao lado da Central Backpackers. Paguei somente 7 dólares por um quarto pra casal com banheiro e varanda.

Vietnã

Hanói: 

Na capital vietnamita ficamos hospedados em dois hotéis. O primeiro não vale nem a pena citar o nome, porque a decepção foi grande. Parecia limpinho, mas tivemos um monte de problemas. Acabamos trocando pelo Ciao Hanoi, ambos localizados no Old Quarter. Pagamos 16 doláres a noite e foi sem dúvida o melhor hotel que ficamos em toda a viagem. Mas cuidado, no Vietnã é muito comum existirem vários hotéis com o mesmo nome que acaba confundindo os viajantes. 


Halong Bay

O nosso resort  en Cat Ba estava incluído no preço do nosso cruzeiro por Halong bay. Mas se você pensa em passar mais dias em Cat Ba Island e quer ir por conta própria, não deixe de ir ao Cat Ba Sandy Beach Resort. Nós ficamos uma noite e um dia e adoramos. 




Myanmar:

Yangon:

Não que eu tenha amado essa Guest house, mas fiquei assustada com os preços dos hostais no país e decidi optar por ela porque era a mais barata (35 doláres a noite) e tinha transporte grátis pro aeroporto. Myanmar, junto com as Filipinas e a Malásia, foram os países que eu achei as guest houses mais caras.
Ainda assim a Mother Land Guest House ainda é a melhor opção. Inclui café-da-manhã e as recepcionistas são uns amores.

Inle Lake e Nyaungshwe:

Para visitar Inle Lake você terá que se hospedar en Nyaungshwe. Uma cidadezinha pequenina que vive basicamente do rio. Chegamos de madrugada e com um nome de uma guest house indicada por um blog espanhol que eu adoro, o Mundo Nomada. Mas eis que eu chego lá e o preço dobrou. Decidimos então seguir o conselho do tuk-tuk, que nos levou até o Gypsy Guest House. O dono fez o check-in às 5 da manhã sem cobrar nenhum extra. O quarto duplo com ventilador e café-da-manhã custa somente 20 doláres. 


Os pescadores de Inle Lake 

Bagan:

Sendo praticamente obrigados a viajar de noite por causa do horários do ônibus no país, chegamos a Bagan as 3 da manhã. Depois de uma péssima viagem de ônibus e muito cansaço, fomos direto a zona de Nyaung U, onde estão a maior parte das guest houses. Bagan estava bem cheia e a melhor opção foi o Saw Nyein San Guest House. Eu amei essa o lugar porque o casal de proprietários são super simpáticos. Pagamos 25 doláres por um quarto duplo com ar-condionado (não cometa o erro de pegar com ventilador porque as temperaturas em Bagan chegam aos 43 graus) e café-da-manhã incluído.

Bagan


Mandalay:

Mandalay foi nossa última parada em Myanmar e confesso que não gostei muito da segunda maior cidade do páis. É grande, cheia de carros e com pouca tranquilidade. Sem saber direito aonde ir, agarramos a Lonely e fomos diretos ao Royal Guest House que fica bem perto do Palácio. Eles estavam lotados, assim que só tinhámos a opção de ficar em um quarto com banheiro compartilhado e ventilador. Passei uma das piores noites de toda a viagem e resolvemos trocar pra um quarto com ar-condicionado. Foi assim que a nossa percepção da guest house melhorou bastante. Por 22 doláres a noite e café -da-manhã incluído, os quartos com ar-condicionado são definitavamente a melhor opção.

Palácio de Mandalay

Outros destinos não foram mencionados nesse post como El Nido nas Filipinas, Penang e Langkawi na Malásia, Koh Samet e Koh Lipe na Tailândia porque não tivemos boas experiências principalmente por causa do preço. 
Em Phon Phen no Camboja o Backpacker parecia fantástico até o dono ameaçar a gente a sair meia hora antes do check-in (eles tinham meu passaporte) só pra dar o quarto pra outra pessoa, o que mudou completamente nossa opinião do lugar.
Em Luang Prabang estava tudo cheio e acabamos ficando em uma guest house bem calorosa por falta de opção, outra má experiência. A minha dica é não deixar o cansaço te vencer e procurar até encontrar o que você pretende pagar com o mínimo conforto possível.


Sorte e boa viagem!



















You Might Also Like

0 comentários

Fazemos parte