Cuidados com a saúde antes e durante uma viagem pelo Sudeste Asiático.

19:24:00

Viajar faz bem pra alma e ninguém duvida disso. Mas tomar alguns cuidados com a sáude também é importante antes de cair no mundo por alguns meses.
Vacinas, kit de primeiros socorros e um seguro médico são três coisas principais que você precisa levar em conta antes de partir pra uma viagem, seja ela longa ou curta.
Nós que sempre tomamos todos os cuidados, nunca tivemos grandes problemas, a não ser uma pequena dor de barriga ou uma queda em bicicleta.


A coisa mais grave que me aconteceu foi uma queda de uma bicicleta elétrica em Bagan


Pensando nisso e baseada na nossa experiência, aí seguem os cuidados que tomamos antes e durante a nossa viagem pelo Sudeste Asiático.

Vacinas:

Na maioria dos países Asiáticos, a vacina contra febre amarela é exigida para os que têm passaporte brasileiro. Além disso, outras também são recomendadas. Hepatitis A e B e Tifus são as que nós sempre tomamos, desde a nossa primeira viagem à Tailândia há 5 anos atrás. Renovamos a dose antes de viajar pelo Sudeste Asiático por quase 3 meses.
A malária era uma grande preucupação, já que não existe vacina e a prevenção é feita com comprimidos enquanto você estiver na zona de risco. Mas eu desisti de tomar quando muita gente me disse que tinha se sentido mal por conta da medicação. O que eu fiz foi comprar um repelente forte e passar religiosamente toda vez que saía do hotel.


Esse repelente é fácil de encontrar em qualquer farmácia da Tailândia

Segundo o travel doctor que eu visitei, o Laos e o norte da Tailândia são os lugares mais perigosos com relação a Malária.


Kit de primeiro socorros:

Eu costumo dizer que sou uma farmácia ambulante. Sou dessas que sempre tem algum comprimidinho pra dor de cabeça, cólica e dor de barriga. Na verdade, essa costume vem de um problema de enxaqueca que tenho desde adolescente. Tive que aprender a tomar meus medicamentos assim que certos sintomas apareciam.
Antes de viajar, aproveitei a consulta com o médico para viajantes e também perguntei a ele que tipo de medicamentos eu deveria levar pra viajar pelo Sudeste Asiático. Com uma lista e receitas em mãos, levamos os mais importantes.
Eu, que sou mais exagerada, ainda levei curativos, álcool pra desinfetar feridas e até vitaminas pela mudança de rotina. Eu sei que pode ser exagero mas em algum momento da viagem tudo isso me serviu.
Fizemos dois amigos no Vietnã que não levavam nada e eu acabei dividindo nosso kit com eles depois que um deles ficou meio doente.

Seguro de viagem

Seguro médico é aquela coisa, a gente tem pena de gastar nossos suados doláres nele, mas sabe que viajar sem o dito cujo pode trazer problemas. Vou ser sincera e vou dizer a vocês que em viagens curtas de até um mês eu nunca viajo com seguro, mas nessa viagem de quase  três meses e que tudo pode acontecer, desde de uma simples dor de estomâgo a ser atropelado por uma moto, é melhor não arriscar.
Eu acabei contranto um seguro médico argentino depois de uma recomendação de uma amiga. O seguro cobria desde  atendimento de emergência em hospitais até reembolso em caso de mala extraviada. Felizmente não precisei deles para contar minha experiência. O seguro só cobria atendimentos na Ásia e Oceania.
Conhecemos muitos viajantes pelo caminho que não levavam seguro médico e disseram estar arrependidos. O atendimento em hospitais públicos é precário e em hospitais particulares é muito caro. De todos os mochileiros que encontramos alguns tinham tido problemas graves, como dengue e outros tinham tido alguma queda ou algum mal-estar. 

Alimentação

Eu adoro comer, e até fiz um guia para gulosos aqui no blog. Provei a comida de rua, comia quase sempre a comida local, mas mesmo assim tomava alguns cuidados.
O primeiro deles é não comer nada cru, como salada por exemplo. Água da torneira nem pensar. E evitava o gelo.
Na hora de escolher um lugar pra comer, minha recomendação é sempre ir a lugares bem cheios. A matemática é simples, lugar cheio tem uma circulação de alimentos muito maior, coisa que evita que eles armazenem comidas de um dia para o outro, sendo assim você sempre comerá tudo fresco.
Abusamos das frutas e dos famosos fruit shakes.


Comida de rua da Malásia

A comida asiática é famosa por ser bem apimentada, eu sempre pedi sem pimenta e ainda assim sofri algumas vezes. Quando era impossível comer, dizia que tinha alergia e trocava o prato.

Outros cuidados

O Sudeste Asiático é bem caloroso e todo mundo sabe disso. Apesar de adorar o calor, em alguns lugares cheguei a me sentir muito mal. Ao visitar os templos de Bagan por exemplo, tive que evitar as horas mais quentes. Na verdade os próprios birmanos recomendam aos turistas a não visitar os templos entre as 12 e às 4 da tarde. As temperaturas chegam aos 43 graus. Nós sempre íamos as 6 da manhã e voltavámos ás 11, e logo saíamos às 5 e voltavámos depois do pôr-do-sol. Em Angkor tive que fazer o mesmo. Protetor solar e muita àgua é regra sem exeção.


Eu evitava as horas de mais calor em Angkor

Tivemos o azar de escolher uma guest -house cheia de bed bugs em El Nido nas Filipinas. Depois da má experiência, tinhámos uma técnica que era sempre olhar se os lençois estavam húmidos e se o colchão era muito mole. Funcionou. Não tivemos mais problemas com esse bichinho quase invisivél. Quartos com ventilador também é melhor pra espantar os mosquitos.

Digo, mais uma vez, que visitar um médico para viajantes é muito mais importantes do que todas essas dicas. Cada caso é um caso e tudo depende do roteiro que você vai fazer.
Boa viagem!







You Might Also Like

0 comentários

Fazemos parte