Nossa paixão pelas viagens

02:09:00

Quando eu conheci o Gerard, na época que éramos só companheiros de trabalho, o principal assunto entre nós era viagens. De fato, a gente ficou mais próximo (e acabou rolando o sentimento..rsrs) quando decidimos aproveitar nossa férias na Tailândia.


Nossa primeira viagem

Para quem não sabe, antes de comerçarmos a namorar, conversando no trabalho surgiu o assunto viagem e eu disse para ele que tinha férias em dezembro e que ainda não sabia o que ia fazer. Tinha uma amiga que estava na Índia , mas sinceramente o país nunca chamou muito minha atenção. Aí conversa vai, conversa vem, começamos a falar sobre a Tailândia, e eu disse para ele que se alguma vez eu pisasse na Ásia, a Tailândia seria o primeiro país que eu iria visitar.

Realizando um sonho

Depois de vários dias com a assunto Tailândia sendo o principal tema entre nós , ele me disse que também tinha férias na mesma época que eu e que a gente poderia planejar fazer essa viagem. Começamos a pesquisar passagens, estadia, roteiro e nesse meio tempo começamos a sair.
O mais interessante foi nossos gostos em comum, e viajar era o principal deles. Os pais do Gerard são puros viajantes e desde pequeno ele viajava com o meus sogros pela Europa, e pelos Estados Unidos. 
Desde pequeno ele foi educado a valorizar as viagens e não as coisas materiais. Fazer uma viagem pra ele é muito mais importante que trocar de carro ou comprar um celular de última geração. 

O mesmo espírito aventureiro

Os meus pais não tinham as mesmas condições financeiras, mas me lembro de pequena fazer viagens por interior da Bahia com a minha mãe. Ela sempre me levava com ela porque eu não pagava passagem e porque ela trabalhava numa empresa de ônibus interestaduais que lhe dava o direito de viajar grátis. Lembro das primeiras viagens a Itabuna e Ilheús, e do quanto aquilo me deixava feliz.

Eu comecei a viajar de verdade depois que eu fui morar em Barcelona entre os anos de 2006 a 2013. Antes vivi em Portugal e fiz pequenas viagens dentro do país. Fui a Fátima e ao Algarve , mas nunca tinha viajado por outros países da  Europa.
Lembro que assim que meu visto de trabalho da Espanha saiu, fui numa lan house e comprei minha passagem para Veneza. E foi aí que de verdade o vício começou.
Ficava ansiosa para ter dois dias de folga para escapar para algum lugar. No mesmo ano fui a Paris, e a vontade de viajar só aumentava.



Minhas primeiras viagens 

Quando comecei a estudar Relações Públicas em Barcelona, me inscrevi numa oferta para trabalhar no aeroporto, lugar onde  sempre quis trabalhar, mas nunca tentava porque pensava que seria difícil.
Depois de uma entrevista e de alguns dias de treinamento já estava trabalhando lá . O melhor de tudo é que eu tinha 5 dias de folga a cada 15 dias. Aí foi que eu pensei: Agora vou viajar até meu dinheiro acabar. Nesse mesmo ano fui a Ibiza, a Londres e a Andorra.

Londres


Ibiza

Com o passar dos anos a lista só foi aumentando. E depois que conheci o Gerard comecei a me aventurar também por outros continentes. No mesmo ano que fui a Tailândia, também fui a Tunísia.

Viajar para gente significa muito mais que passar dias de ócio. Significa descoberta , aprendizado e crescimento. Sempre digo que me torno uma pessoa melhor quando viajo, com o passar do tempo me tornei mais tolerante, menos preconceituosa e me sinto mais realizada.
Agora estamos na Austrália, em um outro continente, em uma nova aventura. Viemos para melhorar nosso inglês e claro : VIAJAR!


Já na Austrália

“Posso estar completamente enganada,mas pra mim a grande riqueza do ser humano está nas experiências que ele vive, nos lugares que ele conhece, nos amigos que ele conquista e não no dinheiro.
Por isso quero morrer milionária, sem um real no bolso!" (Autor Desconhecido)








You Might Also Like

0 comentários

Fazemos parte